Total de visualizações de página

domingo, 11 de dezembro de 2011

...

Engraçado como a TPM nos transforma num ser estranho que habita nosso próprio corpo, e começa a nos mostrar coisas q em sã consciência somos incapazes de perceber. Sinceramente eu não sei onde eu quero chegar, eu nem sei mais se eu quero ir a algum lugar. A única coisa que eu sei é que eu vacilo, vacilo muito. E sempre me enfio nas piores encrencas!

É, 2011 foi um ano atípico. Alem de popular eu me tornei famosa, minhas histórias começaram a rodar a cidade! Até pra show de stand up eu fui convidada. Os gatos?! Nossa os melhores comeram na minha mão! Isso seria muito legal, se tudo não passasse de uma grande farsa! É isso mesmo, eu descobri que eu sou uma farsa!

Eu andei muito tempo escolhendo... Fazendo pesquisa de mercado. Nada estava bom pra mim, até que... me vi chegando aos 30 e sozinha, sem uma profissão definida... A única coisa que eu tenho e posso realmente chamar de meu é um cachorro! Agora me digam: quem, aos 30 anos, quer ter só um cachorro pra ser feliz?

As vezes me pego pensando nas cobranças da sociedade, o povo nunca esta satisfeito. Lembro quando eu fazia faculdade que me cobravam que eu gastava tempo demais com meu namorado, que eu deveria estudar. Me formei, primeira da turma, e terminei o namoro. Viajei, badalei e incomodei as pessoas, pois eu já era uma profissional, deveria ter mais postura!

Comecei uma pós, me concentrei nos estudos e logo arrumei um novo namorado! Me mudei, montei a minha casa e arrumei mais um problema para a minha vida! Sair de casa tão nova? É esse namorado que está virando a cabeça dessa garota... TERMINEI! Assumi os negócios da família, comprei um cachorro... E agora?

Pois é, e agora José? Agora, beirando os 30, eu percebi que eu não passo de uma farsa. Parece que eu faço parte de um grande circo! Onde todo mundo não passa de marionete! Se eu brinco, eu sou a divertida. Se eu falo sério, sou a dramática. Se sou amorosa, sou a global. O que é isso? São vários personagens que me habitam?

Cansei de ser essa mentira. Eu não sou essa mentira. Eu brinco sim, mas já dizia o ditado: toda brincadeira tem um fundo de verdade! E eu quero encontrar a minha verdade! Essa mesma que está escondida aqui... E eu quero - é difícil assumir - mas eu quero que alguém me ajude a buscar essa verdade... O problema é que esse alguém já tem nome, e aquela mulher tão independente e livre de preconceitos se transformou numa menininha, que jamais irá assumir o que está sentindo...

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Amigas...

Acho que já falei de amizade aqui, mas falei daquelas amizades efêmeras. Que te sugam tudo e de repente acabam, no mesmo passe de mágica que começam... Já tive amigos assim, mas mal me lembro deles e de como era nossa relação. Agora meus amigos de verdade, esses eu posso ficar anos sem ver, sem falar. Jamais os esqueço.

Amizade é a melhor coisa que pode acontecer. Ter amigos é ter uma dádiva. Melhor do que ter amigos, é ter amigas. E as minhas amigas, eu posso afirmar que são as melhores! Vejam bem, não estou falando de colegas, to falando de amigas, mas amigas mesmo!

Depois de quase 30 anos vivendo intensamente, posso dizer que conheci muita gente e fiz grandes amigos. Alguns grandes pela intensidade, outros grandes pelo tempo, mas os mais importantes são grandes pelo amor que sinto. É difícil falar de amigos, me da saudade, vontade, alegria, tristeza...

Falar das minhas amigas me emociona, e me deixa sem nenhuma imparcialidade, até um pouco repetitiva, acho que estou me perdendo nesses escritos. Mas a culpa é delas, porque as minhas amigas são fodas!

Vasculhando meus antigos fotologs e testimonials percebo o quanto sou abençoada por ter pessoas maravilhosas ao meu lado. Começo pela infância e me deparo com a Carol, Mari Bellini, Ra e tantas outras que eu quase não vejo, mas que quando eu encontro é como se não tivessem passado 25 anos.

Ando mais um pouquinho e chego na adolescência: meu clone Taisinha, a Su, Mi, Silvia, Bell, Aline, Gaia... Com as quais fiz tantas descobertas e troquei confidências. Cursinho: Fanny e Marcella como sofremos com toda a tensão do pré vestibular!

Aí veio a faculdade e com ela amigas que... putz! Curtiram comigo TUDO!! Bruninha, Gra, Kaka, Japonesa, Aliny Goobe e até Mari Aarestrup, com quem eu comecei curtir as baladinhas da faculdade mesmo estudando em instituições diferentes!

Foram rocks dos mais variados, filmes, shopping, bebedeiras, ai ai.. Tanta coisa que me dá um nó na garganta lembrar! Como nos divertimos! Tem também aquelas que não participaram das festas mas dividiram os momentos mais tensos da graduação: Geórgia, Rapha e Jhandra.

E aquela que eu conheci na faculdade mas fiquei amiga anos mais tarde, dividimos o mesmo ambiente de trabalho, os mesmos sonhos, as mesmas angústias... Não é Jenny? e falando em ambiente de trabalho lembro da Thainá, da Jojô, da Thay, Aline coisinha... Marcela!!! Também me vem a cabeça a Fabi.

A mesma Fabi com eu além de dividir o escritório dividi o teto, o quarto, a cozinha, o banheiro... Dividir a cozinha me lembra Maisa, minha pequena que cozinhava delícias pra mim e também a Mandinha com nossas crises de comidas rápidas e bem engordativas!.

Minhas irmãs, com quem eu discuti, eu ri, eu vivi bons e maus momentos, e por falar em maus momentos debaixo do mesmo teto: Evelyn, a fofuxa! Ainda bem que tudo passa e ela voltou a ser minha parceira!

A todas elas eu defendo, mas tem uma que me defende com muita competência: Ananda Guevara! E também tem aquela que não defende, mas não censura. Que está do meu lado pra tudo! Patuchita, a tia da minha Duda!

Paulinha e Flavinha, as melhores e piores amigas! Irmãs! E a minha irmã, a melhor de todas que tem no mundo: Camila do Bem; mãe, irmã, conselheira, cuidadosa e generosa. Como eu amo, e não me vejo existindo sem ela!

Essas meninas estão todas num jardim! E lá tem a flor mais linda do mundo, minha Julimala!! Que apresentou a melhor amiga virtual de todos os tempos: Renateenha! Que faz parte dos meus dias mesmo há mais de 500 km de distância!

Também conheci outras grandes mulheres. Inteligentes, fortes e maravilhosas!! Apresento minha fiel escudeira Mariana Muller, e também Lourdinha, Alessandra e Brunina da Sabedoria! Todas pós graduadas em TV, Cinema e Mídias digitais!

Falar em grandes mulheres eu lembro das mulheres grandes da minha vida, não só no tamanho, mas na importância e no amor que sinto por elas: Paula dentro... A tia que eu escolhi. E dona Gigi, a madrasta boa, amiga, companheira e cuidadosa.

E é aqui que eu queria chegar, Maria Esther, a minha mãe. A maior e melhor amiga! Pronto, chorei! Amo vocês!!!

segunda-feira, 14 de março de 2011

Insistência...

Estava navegando pela net e me deparei com um blog muito bacana, o Under City Girls, e um texto me chamou atenção... O que fala da insistência das mulheres. Eu posso responder por mim, quando eu fico com um carinha e gosto, eu posso até dar o primeiro passo para um segundo encontro.

Mas agora, se eu vejo que a situação não está rolando... Bicho! Parte pra outra!!! Em 2011 vamos chegar a 7 bilhões de pessoas no mundo. Não é possível que alguém tenha que ficar persistindo e incomodando uma única pessoa. Definitivamente não dá!

Tá certo meninas! Tem algumas gatinhas por aí que muitas vezes extrapolam os limites do bom senso, exageram nos torpedos, nas ligações, nos tuites... Mas vamos combinar: muito pior do que nós, é quando eles perdem a noção e nos sufocam.

Gente, fala sério! Tem coisa mais feia do que um carinha ficar correndo atrás de uma mulher??? O que mais tem por aí é mulher querendo namorar, difícil é homem querer se prender... Agora mulher?! Isso está cheio, é só procurar em outro lugar.

Mocinhas e mocinhos do meu Brasil Varonil: Se deem valor. Se uma pessoa não te atende, não retorna suas ligações, seus torpedos, seus tuites... É porque certamente ela não te quer, e também não tem coragem de falar pra você. Ou porque ela não quer magoar você, ou simplesmente porque faz bem pro ego ter um, ou uma, bacaca babando teu ovo!

Acordem!!! Pra quem está interessado não tem trabalho, viagem, filho, ex, ou qualquer outra coisa que atrapalhe ao menos um contato. Podem ter certeza: O interessado sempre dá um jeito de demonstrar esse interesse. Não se desesperem se alguém lhes despertou interesse e, num primeiro momento, foi recíproco mas agora não é mais.

Não discuta a relação, afinal não existe relação! E tem mais, com certeza outros virão, pois como diria Oprah Winfrey: “Se ele ficou atraído por você à primeira vista, saiba que ele não foi o único. Todos eles estão te olhando, então você tem várias opções.”

sexta-feira, 11 de março de 2011

Independência...

Com quase 30 anos não poderia ser diferente. Acho engraçado quando as pessoas chegam na minha casa e dizem: “Nossa, sua casa tem cara de casa!” Me respondam. Beirando os 30, formada, pós graduada, com trabalho fixo, cachorro, enfim, independente... Poderia ser diferente?

De verdade?! Não achei que aconteceria tão rápido, em menos de 6 meses dei uma guinada violenta na minha vida. Mas já estava na hora! O primeiro passo foi a casa nova. Chega de dividir. Tudo do meu jeito, a minha casa! Depois veio a cadela. Minha companhia, mais que isso minha responsabilidade. É um ser vivo que depende de mim.

E se eu tenho uma casa e um ser que dependem de mim, tive que arregaçar as manguinhas e correr atrás... Lembro sempre de uma grande amiga que falava que pra ter filho não precisamos esperar o momento certo, esse nunca chega. Basta termos, que aí as oportunidades aparecem.

Ter a minha casa foi mais ou menos assim. Ninguém deu muito apoio, mas eu batalhei, achei um AP legal, corri atrás da documentação e de repente me vi dona de casa. Da minha casa. Com a cadela também não foi diferente. Ensaiei comprar, o mundo estava contra. Foi quando descobri a história de uma cadelinha de 8 meses que buscava um novo lar. Assim ganhei uma filha.

Só que aí surgiu um problema, trabalhos de freelancer não pagariam nem a ração e as vacinas, quiçá o aluguel. Mas as oportunidades realmente surgiram. Hoje além de ter voltado aos negócios da família, com uma carga de responsabilidade muito maior, tenho outros trabalhos que complementam minha renda.

Realmente, quando arriscamos e acreditamos, as coisas acontecem... Agora tenho novos planos... Novos objetivos...